Organizado por alunos da graduação e pós-graduação da PUC-Rio e com o apoio do Instituto de Estudo Avançados em Humanidades (IEAHu) e do Departamento de Direito e do Departamento de Arquitetura da PUC-Rio, o “Seminário Lugares de memória” aborda o tema da memória a partir de sua relação com as cidades.

O evento é gratuito e as mesas poderão ser vistas no canal de Youtube do evento.

Programação

24/03 – 16h – Palestra de abertura com Heloisa Starling – História UFMG
Questões: Como a memória se relaciona com a história? Como lidar com as marcas da história? O que explica a história de apagamento na formação do Brasil?

24/03 – 19h – Mesa 1: Memória e identidade
Mediação: João Masao Kamita (Professor dos departamentos de História e Arquitetura PUC-Rio)
Convidadxs:Coletivo Trema, Paula Orrico Sandrin (Doutora em Relações Internacionais e professora do Instituto de Relações Internacionais da PUC-Rio) e Luis Gustavo Costa Araújo (Doutorando PGHIS PUC-Rio)
Questões: Até que ponto a memória contribui para a construção ou destruição de uma identidade? O que é a identidade no mundo contemporâneo e globalizado?

25/03 – 11h – Mesa 2 – Memória e território
Mediação: Rachel Coutinho (professora da Pós-Graduação em Arquitetura da PUC-Rio)
Convidados: Rogério Ribeiro de Oliveira (Professor-doutor do Departamento de Geografia PUC-Rio) e Cosme Felippsen (guia de turismo do projeto Rolê dos Favelados e morador do Morro da Providência)
Questões: Qual história o território nos revela? Como a memória é inscrita no território? Um território pode ser construído pela memória? Quais as marcas do território deixadas por populações perseguidas, como os negros e os indígenas no Brasil?

25/03 – 19h – Mesa 3 – Memória e projeto
Mediação: Ana Luiza Nobre (professora da Pós-Graduação em Arquitetura da PUC-Rio)
Convidadxs: José Lira (professor da FAU-USP) e Fernanda Barbara (Una Arquitetos)
Questões: De que maneira a memória pode informar o projeto? Como o planejamento urbano lida com a memória? Como intervir em lugares de memórias sensíveis? Qual a influência que um projeto pode ter sobre a memória?

26/03 – 9:30h – Mesa 4 – Memória e Cidades Globais
Mediação: Maíra Martins (Professora da Pós-Graduação em Arquitetura da PUC-Rio)
Convidadas: Bianca Freire Medeiros (Doutora em Sociologia e professora do Programa de Pós-graduação em Sociologia da USP) e Julia Rabêlo (Assistente de programas da ONU-Habitat)
Questões: Como o turismo explora a memória e quais as consequências para as cidades? A construção da imagem de cidades globais torna genérica a memória? Podemos falar de um discurso nas cidades que oculta certas memórias?

26/03 – 19h – Mesa 5 – Memória e apagamento
Mediação: Mariana Caldas Pinto Ferreira (Doutoranda de Relações Internacionais, PUC-Rio)
Convidadxs: José Maria Gomez (Professor do Departamento de Direito da PUC-Rio e coordenador do livro “Lugares de Memória: Ditadura Militar e Resistências no Estado do Rio de Janeiro”) e Giselle Beiguelman (artista e professora da FAU-USP)
Questões: Por que apagamos certas memórias? Os apagamentos também constituem nossa identidade? Como as memórias apagadas seguem marcadas nas cidades?

O Habitamos agradece a sua visita e por mais publicações como esta, acesso nossa seção de notícias.

Assine a Newsletter do Habitamos

No spam guarantee.

Deixe seu comentário e contribua com o crescimento do Habitamos